As Férias de Fafá - (Fonte: AME/JF)


     Fafá é uma garota sempre sorridente, mas ela não conhecia conchinhas, nem estrela-do-mar, nunca brincara de baldinho no mar, pois ela nunca havia ido à praia.

     Nestas férias, Tia Malu convidou-a para ir com ela à praia. Fafá ficou muito feliz, pois ela só conhecia o mar pela televisão.

     Chegando à praia, Fafá ficou maravilhada com tanta água, com a areia branquinha e fofa . Ela corria para o mar e voltava para a areia com seubaldinho.

     O Sol brilhava muiiiito forte e tia Malu estava preocupada , então chamou Fafá e passou protetor e filtro solar, e tomou conta do tempo que ficavam na praia, para não pegar o horário que o sol não era legal para a pele.

    No tempo que Fafá ficava na praia ela fazia muitos castelos na areia, montava figuras divertidas com os brinquedos que acompanham o baldinho, se divertia a valer.

    Fafá se divertia também catando conchinhas no mar, vendo o siri passeando na areia, um vento muito gostoso refrescava o ambiente.

    À tarde tia Malu levava Fafá para passear caminhando pela praia até um setor da praia que havia muitas flores e árvores que faziam sombra. Fafá estava maravilhada com a vida das flores que por causa da variaçao do tempo entre a chuva e o sol estavam muito brilhantes, perfumadas e de cor viva.

    À noite Fafá e tia Malu iam passear e tomar sorvete, e Fafá sempre se encantava com o céu todo estrelado, pois nunca vira na cidade tantasestrelas no céu.

    No dia de voltarem para casa, Fafá sentou-se na areia e ficou pensativa e falou para tia Malu:

    _ Tia, o mundo que a gente vive é muito bonito né? Papai do céu criou a terra com tantas tantas coisas bonitas e boas para vivermos nela, vc já reparou?

    _ Verdade mesmo , Fafá. a Terra que Deus criou para nós é muito bela.

    _ Vamos , agradecer então tia? Eu lembrei de uma música que aprendi na Escola Espírita que é muito legal e diz assim ó, me acompanha tia:


_ Nas conchinhas lá do mar,

Nas estrelinhas do céu,

No universo infinito,

E comigo Deus está!

Quem quiser pode escutá-lo

No cantar de um sabiá,

No sussurro do vento

No chuá das ondas do mar,

Churuá, churuá...

Chuááá...

Churuá, churuá...

Chuááá...